15 outubro 2014

60 recursos e ferramentas online para professores

Festa da Música em escola de Lille, na França. Foto: +Karla Vidal 

É Dia do Professor! Como forma de homenagem decidimos elaborar uma mega postagem com indicações de recursos e ferramentas online muito úteis para incrementar aulas, apresentações e palestras. 

Não vou me prorrogar muito nessa introdução porque a postagem vai ser grande e detalhada. Só quero deixar registrado aqui que sim, é possível fazer uma educação diferente, sim, sempre haverá a necessidade de alguém para nos orientar e sim, as tecnologias podem (e devem) ser aliadas nos processos de ensino e aprendizagem.

Feliz jornada para todos os envolvidos com a educação. Somos todos aprendizes, somos todos professores.

A seguir listamos ferramentas e recursos que já testamos e aprovamos. O foco é no design para que a postagem não vire um livro. Só listamos recursos que são 100% gratuitos ou que oferecem a opção de criação de conta gratuita. Esperamos que nossas dicas sejam úteis. Se gostou, envie para os professores que você admira.


Criadores de apresentações e slideshows 

Sim, existe vida além do Prezi. Não dá pra não reconhecer os méritos da ferramenta online mais conhecida para criação de apresentações, mas existem outras opções tão boas quanto. 

Uma delas é o Slidely que permite a criação de pequenos vídeos através de imagens. Você pode usar fotos dos seus álbuns do Flickr, Instagram, Facebook, Google+, Dropbox, Picasa ou enviar suas próprias imagens e áudios. Basta escolher um dos temas e concluir o projeto. Além dessas vantagens funciona como rede social onde usuários podem interagir e comentar as produções uns dos outros. Exemplo nosso aqui.

Parecido com o Slidely é o Stayfilm. Também trabalha com imagens, mas as opções são restritas aos álbuns do Facebook, Flickr e Instagram. Você também pode fazer o upload de imagens arquivadas no seu computador. Há mais opções de temas, mas a trilha já está inclusa, não há como escolhê-la. O Stayfilm é uma ferramenta brasileira. Exemplo nosso aqui.

Apesar de permitir a construção de belos slideshows as duas opções listadas acima não permitem uma manipulação mais pormenorizada dos elementos. Tudo bem que dá para fechar telas em um editor de imagens, antes de realizar o upload, e ir animando como desejar. Mas, se a ideia é concorrer diretamente com o Prezi, há de se querer uma manipulação mais refinada dos elementos. A opção para isso é o Powtoon que oferece um catálogo de temas (alguns pagos) e um conjunto de elementos com os quais você pode trabalhar para construir apresentações bem divertidas. O resultado você publica direto no Youtube. Só contas premium podem baixar o arquivo final no formato .mp4. Exemplo nosso aqui.

Muito parecido com o Powtoon é o Rawshorts. As funções, e até os temas, são todos muito parecidos. Escolhe-se um tema do catálogo e se inicia a edição dos elementos. Ao final você pode compartilhar nas redes ou fazer upload para o Youtube.

Para manipulação de elementos há ainda o Haikudeck que tem uma interface bem intuitiva para edição de textos, inserção de gráficos e ainda conta com um banco de imagem interno. Há modelos de gráficos do tipo "barras" e "pizza" já prontos para você inserir suas estatísticas. Ao final você pode exportar o resultado em .pdf ou .ppt e compartilhar em diversas redes, incluindo códigos de incorporação. Exemplo aqui.

Menção honrosa para a ferramenta de construção de apresentações do Google. É bem parecida com o Powerpoint e tem todas as funções que os demais documentos do Google Drive: compartilhamento, colaboração etc.

Alguns que ainda não testamos, mas estão na fila de espera por parecerem promissores: Slides.comSparkol e Emaze.


Editores de vídeo

O editor online de vídeo do Youtube avançou muito desde a sua primeira versão, isso é fato. No entanto ainda é um espaço bem limitado para quem quer editar e publicar vídeos. Mas, há boas alternativas online para quem quer produzir vídeos bem legais.

A primeira delas é o Wevideo que tem uma área de trabalho muito parecida com a maioria dos editores offline, porém mais intuitiva. Nele é possível adicionar mídias a partir de diversos serviços online (Flickr, Instagram, Facebook, Drive, Dropbox, Box, OneDrive) ou gravá-las através de uma câmera conectada ao computador. Há temas muito parecidos com os filtros do Instagram para aplicar aos vídeos. Cada mídia pode ser editada individualmente atribuindo efeitos e pequenas animações de início e fim, assim como se faz em um editor mais robusto. A conta free oferece 5120 MB de armazenamento e 15 minutos para exportação de vídeos. Exemplo nosso aqui.

Outro bom editor de vídeos online é o Stupeflix. É mais simples que o Wevideo, mas dá conta do recado para vídeos mais simples. São dois temas gratuitos, mas os demais custam apenas 3 dólares. O bom do Stupeflix é que ele te deixa baixar uma versão gratuita também em média resolução (360p) do vídeo produzido. Dá pra compartilhar nas redes e fazer upload direto para Youtube e Facebook.

Há também o Magisto que é o queridinho dos grandes portais da web como Mashable e Forbes. A interface é excelente, faz tudo o que os demais fazem e muito mais. O único problema é que a versão free só permite trabalhar com até 10 mídias. É quase impossível produzir um vídeo com 10 telas, principalmente para dar aulas ou contar uma história. Estilos e trilhas sonoras são restritos para a versão free. Enfim, esse quase não oferece benefícios gratuitos. Tem versão app.

Por último tem o Animoto com opções mais restritas para a conta free, o que não impede a produção de vídeos com até 30 segundos de duração. Tem um banco de áudio com 50 trilhas para você usar. A área de trabalho é bem simples, não causa aquele medo do tipo "não sei nem por onde começar". Parte ruim? Tem uma marca d'água gigante sobre o vídeo na versão free. Exemplo aqui.


Editores e Criadores de Imagem

Nem só de Photoshop e Gimp vive uma edição. Com o boom do marketing digital muitas excelentes ferramentas online concorrentes surgiram para a nossa alegria. A coisa ficou tão séria pro lado da Adobe que eles mesmos criaram versões online para o seu famoso editor de imagens.

Uma das ferramentas mais legais é a ReciteThis. Nela é possível criar pôsteres tipográficos com o texto que você desejar. Há vários templates para utilizar. Depois de criado você pode compartilhar nas redes ou fazer o download da imagem. Muito útil para utilização nas redes sociais ou para aquele momento de destaque na apresentação de slide da sua aula ou conferência. A imagem gerada possui boa resolução e pode ser impressa como cartão A5, o que pode ser útil como material de apoio para jogos em classe.

Seguindo a linha de criação de imagens vetoriais, há o Easel.ly que é uma ferramenta muito legal para criação de infográficos. Oferece dezenas de modelos e elementos como setas e gráficos para você organizar seu conteúdo visualmente. Ao final é possível salvar como imagem ou como pdf de alta resolução. Ainda para produção de infográficos há o Infogr.am que é muito bom, mas na versão gratuita só permite o compartilhamento nas redes. Para download é necessário realizar upgrade para conta pro.

Outra possibilidade muito interessante de produção de imagens online são as ferramentas para criação de histórias em quadrinhos. O MakeBeliefsComix tem uma série de personagens, cenários e balões para utilizar. A interface é que deixa um pouco a desejar em relação ao manuseio dos elementos. No entanto o resultado final é bem legal. Dá pra construir tirinhas com três quadros muito úteis na elaboração de avaliações ou exemplos. O sistema já gera a folha para impressão. Nessa mesma linha, porém mais simples, há também o Stripgenerator. Outra opção muito boa é o Toondoo que oferece mais opções de layout, mais personagens, mais balões e mais cenários. O Toondoo ainda tem uma opção para que você crie seu próprio personagem. Ao final é possível enviar o HQ por e-mail ou imprimir. Bom para sugestão de atividade via e-mail.

E para editar fotografias existe o Picmonkey que possui uma área de trabalho e manuseio muito parecido com o Photoshop. A gama de ferramentas é bem boa contendo filtros, inserção de textos e gráficos, overlay e funções para retoque. Para ajuste simples de contraste e brilho, além de aplicação de filtros em fotos deixamos uma menção honrosa para o editor de imagens do Google Fotos.

Outra boa opção é o Canva que permite criar praticamente todos os tipos de peças gráficas. Já há uma série de templates do tipo "capa para Facebook" e "Twitter Post" o que poupa tempo na hora de produzir imagens para os professores que utilizam as redes sociais. Além de tudo ainda tem um bom banco de imagens interno e envia as artes para emails escolhidos. A capa desse post foi criada no Canva. Para colagens há o Fotor que é tão intuitivo que basta acessar e sair montando grids com suas imagens favoritas.


Bancos de Imagem

Falamos de editores/criadores de imagens e agora é a vez de indicar as principais fontes para encontrá-las. Antes de indicar bancos de imagem para uso gratuito é importante frisar que, mesmo a imagem sendo gratuita, é de bom tom atribuir o crédito ao seu autor. Essa é uma prática gentil que também ensina ao aluno a importância sobre autoria. Há diversos fotógrafos (inclusive eu) disponibilizando uma série de imagens de forma gratuita e que ficam extremamente felizes de ver seu trabalho servir de forma educativa para milhares de aprendizes.

O melhor e um dos maiores bancos de imagens gratuitas é o Wikimedia Commons. O portal reúne diversas imagens disponíveis sob diferentes tipos de licença, quase todas elas para uso gratuito. Alguns fotógrafos permitem inclusive a manipulação delas. Também no Wikimedia estão disponíveis ilustrações, desenhos, pinturas, litografias, mapas e muitas outras imagens em domínio público. Essas podem ser utilizadas livremente para qualquer fim: ético, lógico! Para encontrar imagens basta usar a ferramenta de busca em qualquer língua. Sempre que posso estou disponibilizando imagens como essa por lá.

Outra importante fonte de imagens é a rede Flickr. Mas, atenção! É preciso realizar a busca pelas imagens cujos autores liberaram a licença para uso. Eu liberei todas elas desde que o crédito seja atribuído porque fico feliz em ver meu trabalho espalhado por aí. Para pesquisar no banco de imagens do Flickr é só usar esse sistema: https://www.flickr.com/creativecommons/. Minhas imagens estão liberadas para uso com atribuição aqui: https://www.flickr.com/photos/karlavidal.

Outro bom site para download de fotografias é o Freeimages. O espaço é uma rede onde fotógrafos disponibilizam imagens para uso. Algumas possuem restrições e é necessário solicitar autorização ao autor. Nunca tive um pedido de uso negado. É necessário realizar cadastro para efetuar o download. Também contribuo com imagens que podem ser baixadas através deste link: http://www.freeimages.com/gallery/kakauzuda

Outro grande banco de imagens é o Archive.org. Aliás, não só imagens como de vídeos, áudios e livros. A interface é um pouco menos amistosa que o Wikimedia, mas o arquivo é muito mais interessante. Toda obra disponível no portal possui licença de uso explícita e é importante observá-la, principalmente no caso de produção de outras obras.

O site Wga possui um bom acervo de obras de arte em boa resolução. Como são obras antigas, a maior parte delas está em domínio público. O sistema de busca é eficaz e apresenta retorno para termos específicos como, por exemplo, "leitura" ou "mãe". Lembrando que só há retorno para termos em inglês.

Para cliparts duas boas opções são o Openclipart.org que é colaborativo e o Clker.com, ambos com busca em inglês e downloads em alta resolução. Se o interesse é por ícones há diversos portais, dois muito bons são o Dryicons e o Flaticon. Para ambos a busca deve ser realizada utilizando termos em inglês. Já diversos padrões e planos de fundo podem ser baixados para qualquer dispositivo no website Patterns.ava7.com.


Fontes

Fontes são recursos que também requerem atenção. Muitas fontes disponíveis na web não são gratuitas, mas há muitos downloads do tipo "não honestos". Aconselho sempre utilizar fontes gratuitas que funcionam muito bem e há milhares delas disponíveis para qualquer tipo de uso.

Os melhores sites para downloads de fontes gratuitas são o Dafont que tem atualmente 25 mil fontes disponíveis e o Fontsquirrel. Há outros portais, mas estes são os que mais confio e que possuem o melhor acervo, atualizado constantemente. Há também o Openfontlibrary que tem menor acervo, mas a navegação é bem boa.

Trechos em vídeos

Volta e meia é preciso montar um vídeo e nem sempre se tem equipe para captar imagens. O mais rápido e prudente é utilizar trechos de vídeos já capturados. Assim como as fotografias, há autores que disponibilizam trechos de vídeo em Creative Commons. Esses trechos podem ser utilizados para construção de novos vídeos. É importante utilizar sempre vídeos disponibilizados porque, no caso do Youtube, um canal que usa vídeos ou áudios com direitos reservados pode ser suspenso. Infelizmente a maioria dos vídeos nessas condições é paga. No entanto, grandes bancos de imagem como o StockPhotos, Dreamstime e o Fotolia disponibilizam semanalmente arquivos gratuitos. É possível se cadastrar nas newsletters deles e receber as notificações de arquivos gratuitos direto via e-mail.

Uma alternativa é a seção de Creative Commons do Vimeo, que você pode usar de forma semelhante ao Flickr, como mencionamos antes. Na seção há, inclusive, vídeos disponibilizados por seus realizadores como domínio público, mais de 6 mil para ser mais clara.


Nuvem

Com certeza muita gente que está lendo este post (e conseguir chegar até aqui) já usa ou já ouviu falar no Dropbox. Sem dúvida é o serviço de armazenamento de arquivos mais falado da rede. Mas ele não é o único. Existem outras boas opções que oferecem o mesmo ou até mais espaço que o Dropbox, ainda em seu plano de serviço free.

Uma alternativa que uso há anos é o Box.net que oferece 10 GB de espaço. Recentemente ganhei 50 GB por ser usuária antiga, desde 2005, quando o serviço foi fundado. O Box tem funções muito parecidas com o Dropbox e também possui app para administração via dispositivo móvel. Só não tem a função de vários usuários como editores de um arquivo ao mesmo tempo como no Dropbox. Porém, você pode convidar pessoas para acessar a pasta.

Por falar em vários editores o Drive do Google cumpre muito bem a função lançada pelo Dropbox. E faz mais, agregou uma série de outras funções que não existem do Dropbox como a criação de documentos do tipo planilhas, formulários e outros. Todo mundo deveria ter conta no Google só pra ter acesso às maravilhas do Drive. O ruim do Drive é apenas a capacidade. São 15 GB, mas os seus anexos do Gmail consomem espaço dessa cota.

Com menor capacidade há também o AmazonCloud, um serviço que oferece gratuitamente 5 GB. Aderi recentemente e não posso falar muito sobre o serviço. Também uso apenas como armazenamento o 4Shared que oferece 15 GB gratuitamente. O problema do 4Shared é que ele cancela sua conta se você não realizar login após 180 dias. Tem que lembrar de acessar! É bom para armazenamento, mas não tão interessante para compartilhamento.

Como espaço na nuvem nunca é demais, estamos sempre testando novos serviços. Na fila para teste estão: Claudeme e Owncloud.



Questionários e Formulários

Para questionários e/ou formulários a melhor pedida sempre será a ferramenta do Google Drive. Apesar de apresentar uma customização um tanto quanto restrita (melhorou muito desde a primeira versão), os elementos oferecidos são suficientes para quem quer receber informação e ter uma série de funções para trabalhar posteriormente com ela. Oferece diversos modelos de pergunta, menos a opção de envio de arquivo. No entanto, permite compartilhamento e manuseio por mais de um usuário, como acontece com todos os Docs do Google. Para usar é só ter uma conta no Google.

Mas, nem só de Google vive a web! Um outro serviço que também usamos é o Typeform que tem uma interface super divertida e contemporânea. Para quem faz questão de uma boa aparência o Typeform é uma boa pedida. Nele é possível montar um formulário em várias línguas com elementos para construção do tipo arrasta e solta. Bem intuitivo permite escolha de temas e customização de cores, fontes e plano de fundo. A conta free é bem satisfatória e inclui avisos de recebimento via e-mail, integração com outros serviços como o Dropbox e métricas.

Também usamos o Wufoo há alguns anos. A interface é simples e a conta gratuita permite a construção de até 3 formulários com até 100 respostas por mês. Não é a melhor oferta, mas para uma atividade pontual o serviço é muito bom. Oferece diversos tipos de pergunta incluindo campo para upload de arquivo. Dá para integrar em várias plataformas entre elas o Facebook, além de apresentar plugin próprio e shortcode para o Wordpress. No Wufoo você é que cria o seu próprio tema havendo área exclusiva para inserção da marca do seu projeto.

Para questionários mais elaborados como aqueles que são utilizados para avaliações e pesquisas a melhor pedida é usar um serviço do tipo survey. Há vários disponíveis web a fora, mas quase todas as contas gratuitas possuem restrições em relação a quantidade de perguntas e respostas.

O mais conhecido e utilizado é o SurveyMonkey. Se a atividade for planejada para a limitação de 10 perguntas envolvendo até 100 respondentes o serviço é bem satisfatório. São 31 modelos de questionário e 15 tipos de pergunta. É possível enviar o link do questionário criado de diferentes formas inclusive via Twitter ou Facebook. Outra função legal é a possibilidade de agendamento de data e horário para abertura e encerramento da participação. Muito útil para avaliações online com data e horário marcado.

Na fila de testes está o Kwiksurveys e o Sogosurvey que afirmam ser gratuitos, mas como ainda não testamos de verdade não sabemos ao certo até onde vão suas limitações. Se alguém que já testou quiser compartilhar sua experiência basta usar a caixa de comentários deste post.


Captura de Tela

Capturar a tela, seja de forma estática ou dinâmica é uma situação que mais cedo ou mais tarde todo internauta vai viver. Para imagem estática a velha tecla PrtScn (printscreen) costuma funcionar, mas requer conhecimentos de edição de imagem para trabalhar com a tela capturada. Jogar a imagem inteira no Word e recortá-la por lá vai deixar seu arquivo pesado, além do recorte não ser tão preciso.

Para facilitar e melhorar a qualidade dessa captura as melhores opções são os plugins ou add-ons dos próprios navegadores. Quem usa o Chrome pode escolher Awesome Screenshot: Capture & Annotate. O Awesome permite três tipos de captura: página inteira, parte visível e área selecionada. Essa última deixa você selecionar na tela exatamente a área que deseja capturar. Depois da captura você ainda poderá adicionar quadros, elipses e setas para destacar áreas da imagem. Ao concluir o trabalho o plugin deixa você imprimir ou salvar como arquivo de imagem (.png). Uso desde que aderi ao Chrome. Existe versão também para Firefox.

Além do Awesome Screenshot, usuários do navegador Firefox podem escolher também o Fireshot Webpage Screenshot que é muito semelhante e tão bom quanto. O Fireshot possui versões para Internet Explorer e Opera.

Para captura de ação na tela, ainda não surgiu nada melhor que o 100% gratuito CamStudio. A questão é que esse software é offline e requer instalação na máquina, diferente de tudo que listamos aqui no post em que nada é instalado. No entanto, a ferramenta grava toda a movimentação na tela e exporta em um arquivo de vídeo.

A pouca gama de opções online para desempenhar essa tarefa é aceitável porque a ação e o produto que gera são complexos. Mesmo o Screencast-o-matic que é online, requer a instalação da máquina do java. Essa instalação muitas vezes não é completada com sucesso em alguns computadores. No entanto, a ferramenta também funciona bem e é gratuita.


Bônus

Como bônus queremos listar três recursos que também podem ser muito úteis para professores. O primeiro é o nosso catálogo de e-books gratuitos que podem ser acessados aqui: http://www.pipacomunica.com.br/editora/catalogo. O segundo é a comunidade OpenRedu que está trabalhando na abertura do código da Rede Social Educacional (Redu) e pode ser acessada aqui: http://openredu.cin.ufpe.br/. A terceira é a plataforma Escola Digital onde podem ser acessados diversos objetos digitais de aprendizagem para utilização em sala de aula seja ela presencial ou virtual.

Feliz jornada de ensino e aprendizagem!