15 agosto 2015

Comprei: Polaroid Cube

Foto: +Karla Vidal 

Eu não resisto a uma comprinha fotográfica se a oportunidade for imperdível. Foi assim com o scanner de negativos que já comentei por aqui e mais uma série de outros apetrechos que costumo adquirir no eBay. Também pesquiso em lojas online nacionais e, vez ou outra, acabo investindo em um case, filtro ou cartão de memória novo. Faz parte!

Pouco antes do dia dos namorados eu e +Augusto Noronha estávamos pesquisando preços de produtos quando nos deparamos com uma oferta muito boa da Polaroid Cube que é a action camera da marca. Muita gente compara a Cube com a GoPro Hero, mas elas não se parecem em quase nada, além do fato de serem ambas câmeras de ação.

A Polaroid Cube custa 99 dólares fora do país. Aqui a média de preço gira em torno de 600 reais. Navegando pela web achamos uma promoção muito boa que pedia 499 reais na edição azul. Colocamos a pequena no carrinho de compras na loja online do Walmart e, em poucos dias, recebemos o alerta de que havia baixado mais um pouquinho: 445 reais. Ficou difícil resistir...

Câmeras de ação não são muito a minha praia porque minhas atividades mais dinâmicas acontecem na rua, na cidade, sem grandes movimentações e sem acessos tão restritos. O celular tem funcionado muito bem para a maioria das situações. Mas, fotógrafo gosta de testar coisa nova. Até cogitei adquirir uma GoPro, mas achei que investir em um celular melhor era mais negócio para as minhas demandas, levando em consideração que uma câmera básica da marca (que todo mundo reclama) gira em torno de 1.000 reais. Os 445 reais na Polaroid Cube pareciam um bom negócio.

Sempre quis ter uma daquelas câmeras instantâneas da Polaroid. Fiquei feliz em poder adquirir algo da marca, mesmo sendo bem diferente das câmeras que puseram a marca no hall da fama da fotografia.

A câmera é bem pequena, cabe na palma da mão. Tem corpo emborrachado e um visual retrô muito gracinha. Existe uma infinidade de acessórios pra ela. O ponto negativo é que no mercado brasileiro tá quase tudo em falta. Na base da câmera tem um ímã extremamente forte que serve para fixá-la em qualquer superfície metálica dispensando o uso do tripé. A lente é wide (grande angular), com a distorção natural desse tipo de lente e um amplo alcance de área.

Foto: +Karla Vidal 

Funciona com cartão micro SD de até 32 GB. Eu não costumo usar cartões de capacidade muito grande. Prefiro ter vários de média capacidade porque, se der problema, perco menos conteúdo. Os controles ficam na parte traseira cobertos por uma tampinha redonda que você abre com uma moeda. Tudo bem protegido para não danificar ou entrar água e sujeira, afinal, trata-se de uma câmera de ação. Diz o manual que a superfície é resistente a respingos.

A qualidade da imagem é boa, mas não tem comparação com a qualidade de uma reflex. Se pensa em economizar dinheiro comprando uma Cube no lugar de uma reflex ou de uma compacta, desista. É uma textura de imagem diferente, própria desse tipo de câmera. Há pontos de estouro da luz e ruídos nas arestas relacionados ao movimento dos objetos. Talvez essa textura e a distorção da grande angular não agradem quem tá acostumado com fotos extremamente nítidas e brilhantes. Quando fixa, a câmera captura uma imagem bem estável, mas é menos estável do que os resultados que tenho visto com as GoPro top de linha. As cores em boas condições de luz são bem vívidas, o que é ponto positivo.

Foto: +Karla Vidal 

É uma câmera projetada para capturar situações em que as demais câmeras não chegam. O foco não é na qualidade total e sim no alcance. É uma boa opção que você tem para pendurar em um drone, para fixar numa bike, num skate ou largar no mato. Ela vai registrar ângulos inusitados, mas não vai te entregar qualidade de cinema. Funciona se você é produtor de conteúdo, mas não se você é um fotógrafo de moda (a não ser que você queira registrar um making of diferentão daquele editorial clicado no alto sertão). É uma ferramenta para quem gosta de experimentar, de misturar texturas e formas, de ousar. Eu adoro!

Como minha paixão é a fotografia de rua, a Cube me oferece possibilidades diferentes porque é muitas vezes imperceptível. Quando percebida, nem sempre é identificada como câmera e isso faz com que você possa registrar cenas o mais próximo possível da realidade já que aquele corpo estranho não intimida as pessoas. Chegaram a me perguntar se a câmera era um apontador de lápis. Eu sempre respondo: "é mais ou menos isso mesmo!"

Foi uma boa compra. Vai possibilitar muitas criações, principalmente para as redes sociais. Talvez um dia eu invista numa GoPro. Mas, só vou fazer esse investimento se houver demanda pra isso. Tenho bons equipamentos que suprem minhas necessidades e não tenho motivo para investir em mais um para ficar guardado na caixa. Equipamento parado é equipamento quebrado. A Cube eu levo no carro ou na bolsa, sem tanto medo de acontecer algo porque o investimento foi relativamente baixo. Uma GoPro talvez não me deixasse tão à vontade.

Outro ponto importante: a Cube não tem display e nem visor. A forma de fotografar é como se faz em pinhole, posiciona-se a câmera calculando mais ou menos a cena e faz-se o clique. Suas aulas de física vão ajudar muito nessa hora. Essa é uma característica das câmeras de ação. No caso da GoPro, só os modelos top de linha têm display. Custam uma fortuna... Se for pra fazer selfie, prefira um celular. Os selfies com grande angular ficam incríveis em paisagens ou em grupo. No entanto, você não vai se ver antes do clique.

Só um toque, se comprar uma Cube, cuidado onde a coloca porque o ímã dela é muito potente e pode danificar aparelhos eletrônicos como celulares. Tudo agarra nele muito facilmente.

A Cube entrega arquivos de imagem em formato .JPG e vídeos em formato .MOV. As imagens que tenho feito têm tamanho aproximado de 1 MB, muitas ficam em torno de 800 KB. A seguir, alguns exemplos de cliques feitos com a Polaroid Cube no Recife e um vídeo capturado do carro nas ruas de Olinda e outro no Marco Zero do Recife em um dia nublado minutos antes de uma baita chuva. Em nenhum deles há edição ou correção de imagem. Todos estão exatamente como descarregados da câmera. Assim dá pra perceber bem o resultado das capturas feitas com a Cube.


Foto: +Karla Vidal 

Foto: +Karla Vidal 

Foto: +Karla Vidal 

Foto: +Karla Vidal