24 outubro 2015

Explorar, ter ideias e praticar



Recentemente lançamos junto com o +Estúdio Abble de Aprendizagem e a +ABA Global Education o programa Prof-Lab de formações criativas para professores. Essa postagem tem o intuito de apresentar a nossos leitores de onde surgiu a ideia, qual a nossa motivação e os objetivos da iniciativa.

Quando listamos as três instituições envolvidas na ação parece que estamos criando o maior programa de formações da cidade, mas é justamente o contrário. Nossa ideia é planejar e oferecer espaços mais intimistas de formação para professores. Estamos investindo em situações mais humanas, diferente do que vem acontecendo no ensino superior e no ensino corporativo. Queremos sim fazer com que os professores invistam em conhecimento e na mudança de suas práticas, mas queremos fazer de uma forma que isso não vire obrigação e nem seja chato. Foi assim que chegamos à conclusão de que o projeto precisa ser simples.

A ideia surgiu a partir de uma outra que já vem dando certo e também é muito querida: a Série Professor Criativo. Depois do primeiro livro lançado percebemos várias lacunas que podem ser preenchidas com iniciativas que não são tão complicadas, só precisam ser implementadas com cuidado, carinho e tranquilidade.

Uma dessas lacunas, que muitos pesquisadores já identificaram bem antes que nós, é a formação de professores. O discurso é até comum. Talvez seja pela insistência no assunto que muita gente torce o nariz para o termo, principalmente diretores e gestores da rede pública de educação. Todos os dias, nesse trabalho constante de discutir as tecnologias aplicadas à educação, nos deparamos com comportamentos e atitudes que provam que precisamos dialogar com os professores, precisamos ouvi-los. Já passou do tempo de todos os envolvidos com educação no país entenderem que a tecnologia sozinha não resolve nada, nem mesmo o pagamento das nossas contas no débito automático que sempre dá problema, não é mesmo? Não se vê beleza no ato de formar! O que se vê é obrigação e isso é, na minha opinião, um cenário alarmante.

Vivemos mesmo em um país onde estudar é algo esquisito. Não era pra ser assim. Nossos próprios pais esqueceram de nos dizer que estudar é pra toda vida, não termina nem no Enem, nem na formatura e nem no exame da OAB. No caso dos professores, estudar constantemente é algo que deveria ser óbvio já que o mundo gira, muda a todo instante e temos que acompanhar essas mudanças.

E é aí onde está o 'x' dessa questão. Estudar, capacitar-se, formar-se não precisa ser chato e nem obrigatório. O mesmo investimento que fazemos para aprender a mexer no celular ou nos deslocar naquela cidade que visitamos pela primeira vez deveria ser feito na nossa carreira. Mas, somos nós que temos que fazer esse movimento e para isso precisa haver espaços que conversem conosco, com nossas vontades e nossas demandas.

A marca criada para o Prof-Lab que ilustra a nossa missão de estimular a criatividade através da união entre teoria e prática.

Foi daí que pensamos em oferecer aqui no Recife um espaço assim, voltado para professores que desejem se capacitar para as novas práticas de aprendizagem porque querem saber mais e mudar o mundo. Não queremos ser uma máquina de formação em massa e sim um espaço agradável de aprendizagem em que os líderes educadores estarão lado a lado com os professores cursistas, aprendendo e fazendo junto. Um laboratório para explorar situações, ter ideias e colocá-las em prática ou ao menos planejá-las.

Eu, +Augusto Noronha  e +Alex Sandro Gomes percebemos que pensávamos da mesma forma. Chegamos até a cogitar a possibilidade de estarmos pensando de forma semelhante sozinhos. Até quando tivemos a oportunidade de conversar com Eduardo Carvalho e Guilherme Carvalho da ABA Global Education, em um encontro inesperado, e identificamos que eles pensam da mesma forma que nós. Quando Guilherme nos apresentou o espaço chamado i-Lab notamos na hora que aquele era exatamente o ambiente que estávamos buscando para oferecer as formações. Parecia que o universo estava conspirando em favor da iniciativa.


Paulo André, Alex Sandro Gomes acompanhado do sogro Pedro Paulo de Araújo e da filha Bia, eu, Augusto Noronha e Guilherme Carvalho. Foto de +Clécio Vidal.

Estava mesmo! Depois desse encontro estava montada uma equipe de profissionais com o compromisso de promover novas formas de aprendizagem. Alguns dias depois já estávamos com o projeto montado, nome definido, identidade visual pronta e um time de educadores formado para oferecer 4 encontros agendados para o mês de novembro.

Os encontros seguirão a agenda a seguir:

7.11.2015 
Design de experiências de aprendizagem com Alex Sandro Gomes e Paulo André da Silva.
Inscreva-se aqui!

14.11.2015
Design Thinking para educadores com Alessandro Lima.
Inscreva-se aqui!

21.11.2015
Games e Educação: para além da repetição com Giordano Cabral.
Inscreva-se aqui!

28.11.2015
Produção criativa com TICs com Felipe de Brito Lima.
Inscreva-se aqui!

Uma postagem de blog é muito pouco para descrever todas as situações envolvidas na concepção dessa iniciativa. No entanto, já é possível ter uma ideia geral do que estamos planejando. Tudo está em construção coletiva. Estamos experimentando também. Certamente vamos errar para poder ajustar. Já posso garantir que estamos muito felizes e cheios de vontade de construir novos cenários de aprendizagem lado a lado com vocês.

As inscrições para a primeira formação estão abertas no link: http://www.abble.com.br/prof-lab/. Já temos mais da metade das vagas preenchidas para a primeira turma. Sendo assim, corre para garantir sua vaga.