02 dezembro 2015

Ensaio fotográfico destaca olhares caleidoscópicos sobre a mata atlântica


Por Cláudio Eufrausino

Existem pelo menos dois tipos de olhares que podem ser lançados sobre a natureza. O olhar clássico, que nutre o natural de ordem e simetria, e o olhar barroco, que revela a sinuosidade, a violência e as turbulências de uma natureza caleidoscópica.

A fotógrafa Karla Vidal importa do século XVI as lentes barrocas, para lançá-las sobre um dos últimos refúgios da Mata Atlântica brasileira, localizado no Jardim Botânico de Recife, considerado uma das mais importantes reservas ambientais do País.

Por meio da edição e do tratamento digital das imagens colhidas no Jardim Botânico, a autora do ensaio Caleidoscópicas buscou reproduzir os efeitos ópticos produzidos pelo físico escocês Dawid Brewster (1781-1868), inventor do caleidoscópio. “Trata-se da simulação de um jogo de espelhos, cujo objetivo é promover a fusão de fragmentos de imagens. O resultado são cenas abstratas cuja matéria-prima é o que há de mais concreto: a natureza viva”.

2015 © Imagem da série Caleidoscópicas de +Karla Vidal.

Segundo Karla, o ensaio fotográfico é também uma forma de criticar o tratamento que vem sendo dado à natureza. “As imagens caleidoscópicas revelam beleza por meio da confusão do olhar. Mas, podemos extrair dessas belas imagens uma forma de ironia, no sentido de questionamento sobre como a beleza inspirada pela natureza não tem sido capaz de sensibilizar a sociedade para evitar tragédias ambientais ocorridas quando a racionalidade instrumental se sobrepõe à natureza”, pondera.

Uma das inspirações do ensaio fotográfico é o trabalho do biólogo e naturalista alemão Ernst Haeckel. As imagens caleidoscópicas do ensaio trazem como pressuposto a ideia de que a fotografia é rica por ser capaz de apresentar ao olhar não só o que é imediatamente visível, mas também aquilo que o filósofo alemão Walter Benjamin chama de inconsciente óptico. “Assim como o zoom e a câmera lenta, no cinema, revelam dimensões inconscientes ao olho nu, o tratamento das imagens deste ensaio se propõe a revelar ritmos da natureza que costumam escapar a nosso olhar condicionado e mecanizado.”, teoriza.

2015 © Imagem da série Caleidoscópicas de +Karla Vidal.

O ensaio Caleidoscópicas atesta a paixão de Karla Vidal pelo desafio de explorar o potencial da técnica fotográfica para operar sobre o contato indireto com o objeto fotografado. É o caso de um ensaio produzido em 2014, no qual a fotógrafa capturou Reflexos de paisagens francesas em superfícies polidas como espelhos, cristais e vitrines. “Já em meu trabalho de conclusão de curso, enfrentei o desafio de fotografar apresentações artísticas em ônibus que estavam se movendo. Ali, começou meu fascínio por trabalhar o efeito que as interferências podem causar sobre a fotografia.”, conclui.

A série completa composta por 12 imagens pode ser vista no link: http://karlavidal.com.br/portfolio/caleidoscopicas/